12 lançamentos do Rap goiano em 2017

Mais um ano chegando ao fim e começa aquela fase de premiações e listas dos melhores do ano na música e em gêneros específicos, como o Rap. O Rap goiano se vê órfão de premiações no segmento Hip-Hop, mas sempre é possível ver as listas dos melhores lançamentos que sempre giram pelas redes sociais. Pensando nisso, decidi ouvir mais algumas vezes alguns lançamentos entre dezembro de 2016 e dezembro de 2017 e fazer aqui uma lista de indicações. deixando bem claro que essa não é uma lista dos melhores do ano, pois não seria possível fazer algo assim sem uma comissão de julgamento que consiga contemplar o maior número possível de lançamentos e de forma justa e imparcial. Sendo assim, decidi fazer uma lista com algumas músicas e videoclipes que achei relevantes, mas que não necessariamente sejam os melhores do ano, já que gosto é algo bem pessoal. Alguns desses sons fazem parte da minha playlist, outros não, mas achei interessante que estivessem na lista, outras musicas eu simplesmente não gostei ou não me identifiquei e algumas até entrariam se eu fosse fazer uma lista maior, mas como o objetivo aqui é não me prolongar tanto e fazer uma lista curta, selecionei os seguintes 12 títulos:

 

Wine B, Inà, Rakel Reis – Cypher P.R.E.T.A

2017 foi o ano da consagração desse novo modelo de Cypher, não mais feito apenas no formato freestyle, mas com produções mais elaboradas e estética mais moderna. Um dos que considerei mais importantes, falando em representatividade, foi o P.R.E.T.A. O instrumental foi produzido por Mortão VMG e a música trás 3 grandes nomes do Rap goiano: Wine B, conhecida principalmente por cantar alguns refrões que viraram verdadeiros clássicos em Goiânia; Inà, figura carimbada nas batalhas de MC’s, estreando nos estúdios e fazendo crescer as expectativas para o lançamento de seu primeiro single, que ainda parece ser incerto, e; Rakel Reis, ex integrante do grupo Família Pobre Loko e dona da (arrisco dizer) voz mais potente do nosso Rap.

 

Wu-Kazulo Cypher

Esse ano foi um ótimo ano para o coletivo Wu-Kazulo, formado por ATropaH2, Luz Negra, Renedy, Caseiro, Saggaz Beats e Sem Lembrança, unindo nova e velha escola. O WKZL ganhou grande notoriedade na cidade após o lançamento de sua primeira faixa com todos os seus integrantes, fazendo uma boa sequência de shows e apresentações memoráveis na grande Goiânia. Fazendo algo incomum e considerado arriscado na era dos timbres eletrônicos, a música resgata as raízes da música Rap dos anos 90, fazendo jus à influência impressa no nome do grupo, homenageando o consagrado Wu Tang Clan. Durante aproximadamente 3min, os 7 samurais do Boom Bap se apresentam ao público e mostram a essência do projeto sobre a produção do menino prodígio Saggaz Beats, que também rima no single.

 

Fora do Habitat – Afrodite ft. Gabriel Felix

O duo, formado por Laikko e DeVito, finalmente colocou nas ruas o EP Caos Paralelo e destaco a track Afrodite, com participação de Gabriel Felix. Essa é daquelas pra ouvir pensando naquela paixãozinha ou até mesmo na companhia dela, ou dele. A música não traduz o conteúdo do EP, que vem forte e direto, mas as pausas pra relaxar nas faixas “Afrodite” e “Amor” (recomendo fortemente) também são muito válidas, assim como todo o projeto.

 

Rakel Reis – Candeia

Uma grande emoção que tive foi ouvir essa música em uma apresentação ao vivo nesse ano que passou. Crítica, de vocal potente, e a representatividade em pessoal, Rakel Reis mostrou que não é só um vocal bonito pra refrão, mas uma grande força no Rap, seja rimando ou mostrando o quanto a mina é afinada. “Candeia” é uma amostra do que virá no seu álbum que, segundo Rakel, já está por vir.

 

Jimy – Detalhes

Detalhes pra mim merece o título de love song do ano. Essa é uma das faixas que integram o EP de estréia do Jimy, “Nada é Por Acaso”, que consagra sua musicalidade e domínio de melodia do músico já conhecido na terra do frango pequi.

 

Saggaz X Caseiro – Conto de Onde as Água Correm no Teto

“Conto de Onde as Água Correm no Teto” deixa aquela sensação de “quero mais” nos seus pouco mais de 2min. Recomendo colocar em loop antes de dormir, pra quem sofre de insônia. Primeira faixa do projeto Saggaz X Caseiro, a música explora, de uma maneira ainda não feita por aqui, o Lo-Fi Hip-Hop, experimentando batidas calmas com ênfase no baixo e bateria e com rimas muito bem colocadas.

 

Criolin – Menos-valia

Só quem viveu a época de ouro da Batalha do TTP (Terminal Padre Pelágio) em 2016 vai sentir de verdade a emoção de ouvir esse som. Arrisco dizer que Criolin é o MC mais frio e calculista que as batalhas de Gyn já viram, mas nessa música é a emoção que ganha destaque. Poucas frases me impactaram tanto ultimamente quanto “livrai meus moleque dessa vontade de querer roubar no Eixão”.

 

Renedy – Sinal de Alerta

“Vivendo Aprendendo e Evoluindo”. Esse é o novo disco de Renedy. Recentemente tive a oportunidade de acompanhar seu show de lançamento, em um teatro, e duvido que algum dia algum artista goiano tenha feito um show tão bem produzido quanto esse. Dentre as várias faixas, achei válido destacar essa.

 

ATropaH2 – Olho Biônico ft. Rodrigo Nonato

Os BoomBap’s Lords, Ras Tibuia e Yellowman, lançaram recentemente o EP “A Saga dos Beats” e “Olho Biônico”, pra mim, é a melhor música. Com participação do paulista Rodrigo Nonato, a faixa é pancada do começo ao fim e foi um dos “abre-alas” para a popularidade conquistada pelo Wu-Kazulo.

 

DZR, D$Killer, Clandestino, Escafanfrista, Jimy – Todos Somos Iguais

Uma exclente produção musical e um refrão melódico. O projeto é um dos destaques Audiovisuais do ano. Com temas que passam por tristeza e até a morte, essa é uma música pra ouvir de coração apertado.

 

Tese – Bang-Bang

A banca DOBECO ganhou mais força em 2017 e seu elo mais forte, o trio Tese, tem tudo a ver com isso. Quero destacar o MC Manassés, que abre a faixa e se apresenta de uma forma ainda não vista nos singles anteriores do Tese, mas Daniel Dobeco e Felix também chegaram muito bem do início ao fim.

 

Laikko – Tétano

O crítico Laikko tece umas rimas bem ácidas em seu single “Tétano”. Mais um beat do Saggaz por aqui. O clipe tem baixo custo, mas é dirigido de forma genial por Centro Machina.

Athualpa
About Athualpa 16 Articles
Athualpa "A.Jay A.Jhota" Magalhães Jr. é estudante de turismo, ex centro-avente da escolinha do Flamengo aos 17 anos, preto, rapper e amante da cultura Hip-Hop.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*