25 de Novembro, Dia Nacional do Doador de Sangue

Dia Nacional do Doador de Sangue: data para conscientizar a população e mostrar que um simples ato pode salvar vidas

 

Christina Souto, professora de Enfermagem da Faculdade Estácio, explica que o processo de doação de sangue é rápido e não oferece riscos ao doador

 

O sangue é um bem precioso e insubstituível. Para mostrar a importância de doar sangue e promover esse ato de solidariedade e cidadania comemora-se no dia 25 de novembro, o Dia Nacional do Doador de Sangue.  A data também busca homenagear todas as pessoas que separam um tempo em sua rotina para ser um doador voluntário. Além de conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue e aumentar os estoques, principalmente, para as festas de fim de ano, período de férias e proximidade do carnaval.

Há várias situações que a transfusão se faz vital, como nos pacientes vítimas de acidentes de trânsitos, com grandes queimaduras, hemofílicos, anêmicos, com problemas de coagulação sanguínea e outras situações de emergência. Por isso, estima-se que a cada dois segundos, um indivíduo em algum hospital do país precisa de uma transfusão de sangue para viver.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de três milhões de brasileiros são doadores regulares, ou seja, 1,9% da população. A professora de Enfermagem da Faculdade Estácio, Christina Souto, conta que o ideal seriam quatro milhões para impedir faltas pontuais nos estoques.

“É importante que a população entenda que não existe nenhum medicamento que substitua o sangue e quem necessita dessa ação depende primeiramente da generosidade do doador que, com boa vontade e uma pequena ação, pode beneficiar até quatro pessoas”, explica a professora da Estácio.

Além do processo de doação de sangue ser rápido e durar apenas 10 minutos, o ato não oferece riscos ao doador, já que nenhum material utilizado na coleta é reutilizado. Desse modo, elimina qualquer possibilidade de contaminação, garantindo segurança absoluta em todo o procedimento.

Mas existem normas nacionais e internacionais para a triagem de pessoas aptas a doar sangue, sendo que órgãos como o Ministério da Saúde e a Associação Americana de Bancos de Sangue são responsáveis por esse controle. “O alto rigor no cumprimento dessas normas garante a saúde das pessoas que receberão o sangue, uma vez que ele não pode estar contaminado com outras doenças”, explica a docente.

Conheça os critérios para ser um doador:

– Estar em boas condições de saúde;
– Ter entre 16 e 69 anos (pessoas acima de 60 anos só podem doar se já tiverem doado sangue alguma vez antes dessa idade);
– Pesar no mínimo 50kg;
– Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
– Estar alimentado, mas evite alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação. Caso seja após o almoço, aguardar duas horas;
– Apresentar documento original com foto, que permita o reconhecimento do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Fonte: Thais Rocha – Interativa Comunicação

Miltinho
About Miltinho 15 Articles
Gestor Público, Gestor Cultural, Coordenador Comercial Goianidades.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*