Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge promove comemorações do dia da consciência negra

Foto: Ana Caroline de Lima

A cidade de Alto Paraíso de Goiás vai sediar do dia 15 a 20 de novembro as comemorações do mês da consciência negra. O projeto é uma iniciativa da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, que esse ano completa 20 anos.

Na agenda do evento estão oficinas de canto e dança, palestras, desfile e vivências na comunidade Calunga. Desde o dia primeiro deste mês está em mostra a exposição fotográfica Ser Kalunga que traz fotos de Alan Oju, Freddox Carvalho, Girlaydy Costa, Anísia Barros, Ion David, Ana Caroline de Lima, Débora Amorim e Tomaz de Aquino. A curadoria ficou por conta do fotógrafo, produtor cultural e engenheiro, Wagner Araújo e ficam expostas na Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge – Vila de São Jorge, até o dia 31 de dezembro.

 

Vivência com lideranças femininas do Sítio Histórico Kalunga

Na língua banto, de origem africana, Kalunga significa lugar sagrado, de proteção. No sentido dado pelos moradores do Sítio Histórico, significa “lugar sagrado que não pode pertencer a uma só pessoa ou família”, ou “lugar onde nunca seca, arável, sendo bom para as horas de dificuldade”. A terra começou a ser habitada em meados do século XVIII, quando africanos escravizados fugiram em busca de liberdade. Hoje a comunidade do Sítio Histórico Kalunga ocupa 237 mil hectares e abriga mais de 4.500 pessoas. As festas populares dos Kalunga são sua marca registrada. A forte religiosidade do povo é demonstrada por meio dos festejos em homenagem aos santos de cada época. As festas são a caracterização genuína da cultura popular, em que o sagrado e o profano se misturam. Mais do que comemoração religiosa, elas têm um papel social. É nelas que parentes se reencontram, crianças são batizadas, são realizados casamentos, reivindicações são ouvidas por representantes políticos. Quando reunida, a nação Kalunga mostra ainda mais sua humildade, alegria e o valor de preservar as tradições

Shows

Fabiana Cozza (SP)

Nos dias 16 e 17 se apresentam as cantoras Jerusa Leão (BA) com o show Saravah que saúda os ritmos afro-brasileiros, passando pelo universo dos Ijexás, cantigas de Orixá e Sambas de Roda do Recôncavo da Bahia, e também a cantora paulista Fabiana Cozza, que é filha de Osvaldo dos Santos – puxador da Camisa Verde e Branco – e ganhadora do prêmio Melhor Cantora de Samba na 23ª edição do Prêmio da Música Brasileira.

Toda a programação faz parte do projeto “Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge: 20 anos de valorização das culturas tradicionais da Chapada dos Veadeiros”, contemplado no Edital de Fomento à Dinamização de Espaços Culturais, do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás 2016.

 

Texto: Divulgação/Goianidades

Foto: Divulgação

Andre Barbosa
About Andre Barbosa 14 Articles
Jornalista, músico e palpiteiro político-econômico. Estudante-pesquisador de direitos humanos, gênero e marcadores sociais.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*