Cultura e Solidariedade na comunidade: o que eventos como Hidromix tem a nos dizer

Música, esporte, dança, exposição de grafite e doações… Tudo isso junto em um evento gratuito em zona periférica na região metropolitana de Goiânia mostra que é possível fazer a diferença na sua comunidade. No último domingo (17 de março), o setor Maysa, em Trindade, recebeu mais uma edição do Hidromix, evento que reuniu artista de rock e rap, capoeiristas, grafiteiros, atividades de skate e moradores da região para um encontro cultural e beneficente.

O evento aconteceu no pátio do Ginásio de Esportes do setor e contou com o apoio da Prefeitura de Trindade. Durante o evento, foram arrecadados mais de 300kg de alimentos não perecíveis e doados para famílias carentes da região leste de Trindade.

Iniciativas como a Hidromix são como sementes plantadas no inconsciente coletivo. Hidromix é um evento entre amigos comprometidos em levar cultura e uma colher de esperança para os seus. Idealizado pelos moradores Otávio Augusto (Nobre San), Leandro Borges (Porão Tattoo) e Henrique Ferreira Leite, a ideia começou em um estabelecimento de lavajato em 2013 no Maysa. Os três amigos já encabeçam outro projeto social na mesma região, conhecido por Projeto Andrômeda, com ações de arrecadação e doações de todo tipo a famílias carentes.
Ao longo desses 5 anos, tanto o Hidromix quanto o Andrômeda apenas se fortaleceram. Isso porque os dois projetos trabalham em prol de um mesmo interesse cultural e mantém estreita relação com aquilo que o país precisa: educação! E a cultura é um importante meio de obtenção do conhecimento.

Henrique Leite, Nobre San e Leandro Borges, idealizadores dos projetos Hidromix e Andrômeda

“Os projetos são sementes que estamos lançando ao solo, estamos semeando na base, nos jovens, mudando o curso natural das coisas”, diz o rapper Nobre San e um dos idealizadores. Para ele, a comunidade está mais unida depois dessas iniciativas.

“As pessoas estão querendo aprender, se interessando em ajudar mais, colaborar com o movimento. As classes estão observando, vendo a movimentação e estamos conquistando espaço naturalmente. Muitos fecharam a porta pra gente no passado, hoje querem saber como faz para ter o nome envolvido nisso tudo. Expandir as ideias das pessoas, dar a elas uma opção diferente de escolha e visão é o foco”, completa o rapper.

Devemos pensar projetos como o Hidromix para além das atividades artísticas, há uma proposta humanista. Em evento como este, a arte assume uma espécie de função apaziguadora, a cultura como um instrumento de combate à violência. E a ausência do Estado em responsabilidade culturais em bairros como o Maysa torna atitudes como o Andrômeda e o Hidromix a ponta-de-lança para novas conexões, cruzar fronteiras sociais e simbólicas da periferia. Não é somente o artista X ou Y ali presente, é toda a iniciativa de fazer do seu lugar de morada palco para diversas representatividades, um momento de transformação e de levar ao próximo uma pouco mais daquilo que chamamos de Arte e Solidariedade.

Por mais andrômedas nos 4 cantos da grande Goiânia. Confira abaixo fotos oficiais do evento:

Exposição de carros antigos.
Mais cores nas paredes do Ginásio. Grafite ao vivo!
Organizadores e artistas do Hidromix VI

300 kg de alimento arrecadados, destinados a famílias carentes da região leste de Trindade

Mariana Magalhaes
About Mariana Magalhaes 41 Articles
Jornalista por formação, especialista em Mídia, Informação e Cultura.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*