Os dilemas de Daniel Vilela

Em 1998, então com apenas 35 anos, Marconi Perillo (PSDB) foi eleito o mais
jovem governador do Brasil, derrotando o, até então, imbatível Iris Rezende, dando um
fim a hegemonia irista, no estado do Goiás. Marconi Perillo contou com uma bem
planejada campanha eleitoral tendo à frente o famoso publicitário Chico Santa Rita, o
qual utilizou com maestria o comediante Nerso da Capetinga em seu horário eleitoral.
Quem não se recorda da famosa “panelinha”? Além do mais, escândalos como a
Caixego foram utilizados sem parar pela oposição a Iris Rezende.

Vinte anos depois, a história tenta se repetir com novos protagonistas, tendo o
governador Zé Eliton, o deputado federal Daniel Vilela e o senador Ronaldo Caiado
como atores principais. Zé Eliton recebeu a máquina administrativa das mãos do ex-
governador Marconi Perillo e tem o seu total apoio, apesar de ainda patinar nas
pesquisas. Candidato a senador, Perillo fará de tudo para reeleger o seu sucessor e
continuar dominando a política goiana. Pesa contra Zé Eliton, o cansaço de 20 anos de
governo do PSDB e sua dificuldade de crescer nas pesquisas.

Daniel Vilela, filho do ex-governador Maguito Vilela, teve uma carreira
meteórica. Em 2008 foi eleito vereador, em 2010 foi eleito deputado estadual e em
2014, com apenas 31 anos, foi eleito o segundo deputado federal mais votado de Goiás
com mais de 179 mil votos. Atualmente preside o MDB, um dos partidos mais
importantes do Estado, porém não conseguiu manter a unidade do partido. Prefeitos
emedebistas como Ernesto Roller (Formosa), Adb Elias (Catalão), Paulo do Vale (Rio
Verde), Renato de Castro (Goianésia) e Fausto Mariano (Turvânia) pressionam Daniel e
seu pai Maguito Vilela a apoiarem o senador Ronaldo Caiado (que está melhor colocado
nas pesquisas) ao governo.

Em 1998 a oposição não tinha nada a perder em lançar o jovem Marconi Perillo
ao governo de Goiás. Iris mostrava-se imbatível e aparecia liderando todas as pesquisas
com folga. Nenhum outro candidato topava o embate contra o irismo.

Hoje, pesa contra as pretensões do deputado Daniel Vilela, o racha no MDB, a
ascensão do senador Ronaldo Caiado, a força de Íris Rezende na capital – que poderá

apoiar o senador Ronaldo Caiado, apesar de negar publicamente que o faça- a forte
aliança costurada pelo ex-governador Marconi Perillo para o seu sucessor.

A história se repete no Estado do Goiás, mas o desfecho poderá ser diferente de
20 anos atrás.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*