Tetro que Roda ocupa as ruas de Goiânia!

Grupo Teatro que Roda estreia novo espetáculo sobre a existência e resistência feminina no cangaço brasileiro

 Peça vai ser encenada em 10 apresentações nas ruas de Goiânia até dia 20 de dezembro

 

As ruas de Goiânia vão ser ocupadas a partir desta semana com dez apresentações do mais novo espetáculo do grupo goiano Teatro que Roda. A estreia de “DondeEstão as Estrelas” acontece na quinta (06/12) às 15:30 horas em plena Avenida Anhanguera, esquina com a rua sete. Completando 15 anos de estrada e listando mais de 500 apresentações por quase todas as capitais brasileiras e mais de 50 municípios, o grupo entrega à cidade o seu quinto espetáculo, resultado de um ano de pesquisa e elaboração.

Concebido sob a poética do teatro de rua e de invasão, o espetáculo será apresentado por mais nove vezes até o dia 20 de dezembro em diferentes pontos da região metropolitana. Todas são gratuitas, contando com apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. A peça também passará pelas praças Universitária e Joaquim Lúcio, Conjunto Itatiaia, Crimeia, Jardim Tiradores e Nova Esperança.

“Donde estão as estrelas” conta a trajetória de Ana e Maria, mulheres do cangaço que se reencontram no meio da cidade após uma emboscada sofrida pelo bando, elas são as últimas sobreviventes de seu grupo. Para se manterem vivas são obrigadas a fugir da perseguição das “forças volantes” que rodam a região, a caça da cabeça de desordeiros. Em meio a desvios, conflitos e memórias, elas passam por provações, enfrentado seus medos em uma derradeira luta por justiça e liberdade.

Este é o resultado de um trabalho coletivo que começou no final de 2016 tendo como ponto de partida estudos de argumento para a dramaturgia: leituras, documentários e iconografias sobre o movimento e fenômeno de banditismo do cangaço brasileiro.

Teatro na rua

Num segundo momento, o grupo desenvolveu estudos teóricos e práticos sobre o processo de pesquisa e criação de dramaturgia pessoal do ator/atriz alinhando a experiência de encenação do Teatro de Invasão, linguagem já utilizada pelo grupo nos dois últimos espetáculos. O espetáculo não apenas é apresentado na rua, como se aproveita do tecido urbano para criar a atmosfera necessária para sua apresentação.

“Há na cidade regras e convenções de trânsito e ocupação do espaço que são transgredidas pelos atores convidando o público ao jogo lúdico de interação com os personagens da peça. O público se torna temporariamente um espectador-ator, um cúmplice, podendo também explorar o espaço, transgredir as regras da cidade, podendo participar ativamente do jogo, inclusive intervindo nas falas com os atores”, comenta a atriz Ieda Marçal, responsável pelo argumento principal. Ela indica a necessidade de uma preparação específica para o teatro que vai para as ruas: o corpo atento, o texto bem compreendido, por exemplo.

Por trás da peça

Quem está em cena, necessariamente participou da criação do espetáculo. A preparação de elenco foi conduzida a partir de pesquisa de movimentação e treinamentos corporais com foco na composição de cenas coletivas e individuais, partindo de jogos e danças dramáticas tiradas das danças populares tradicionais brasileiras, em especial as nordestinas e sertanejas: coco, jongo, maracatu rural, cavalo marinho.

A pesquisa para composição de personagens também exigiu dos atores um trabalho autoral, com um viés na criação ficcional de figuras, a partir da observação de pessoas, entrevistas, fotografias, documentários, videografias, biografias, histórias e narrativas registradas, improvisação de situações e cenas em confronto com a realidade da cidade.

Para situar a plateia flutuante na paisagem estética e sonora de um lugar do sertão, o espetáculo encontra alicerce na música da cultura popular brasileira. Assim, ritmos como: aboios, cocos, baião e ladainhas servem de bases para as composições originais da peça. Além de outros ritmos, canções e sonoridades intuitivas, que criam um pano de fundo poético a história, e fortalecem a estrutura narrativa musical enriquecendo a ação dramatúrgica e a encenação.

 

SERVIÇO –  Grupo Teatro que Roda (GO) estreia “Donde Estão as Estrelas”

Gênero: Teatro de Rua

Classificação: Livre

Duração: 40 min.

Data: 6 de dezembro, quinta

Local: Av. Anhanguera, esquina com rua 7, Centro

Horário: 15:30 horas

DEMAIS APRESENTAÇÕES

 

07/12, 10h

Av. Anhanguera esq. com rua 7 – Centro

09/12, 17h

Praça Universitária, Programação FUGA_Festival Universitário

10/12,15h30

Av. Anhanguera esq. com rua 7 – Centro

11/12, 10h

Av. Anhanguera esq. com rua 7 – Centro

15/12, 16h

Jardim Tiradentes – Aparecida de Goiânia – Av. 8 em frente ao Ginásio

17/12, 15h30

Jardim Nova Esperança, prox. Ponto de Cultura Eldorado dos Carajás

18/12, 15h30

Praça Joaquim Lúcio – Campinas

19/12, 19h

Crimeia Leste, prox. Cia Novo Ato

20/12, 15h30h

Av. Anhanguera esq. com rua 7 – Centro

 

Fonte: Assessoria de imprensa: Nádia Junqueira

Miltinho
About Miltinho 15 Articles
Gestor Público, Gestor Cultural, Coordenador Comercial Goianidades.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*