UNDERGROUND BAR realiza homenagem ao cineasta Luiz Eduardo Jorge.

Sessão de Cinema marca  1 ano de saudades de Luiz Eduardo Jorge

O UNDERGROUND BAR realizou nesta segunda-feira, 28, a exibição de filmes do cineasta goiano Luiz Eduardo Jorge, memorando 1 ano de seu falecimento. Na oportunidade

, foram  exibidos os filmes em uma curadoria voltada para seus filmes que dialogam com a questão antimanicomial e urbana.

Luiz era cineasta, escritor e professor. Licenciado em História pela Universidade Católica de Goiás (1981), especializou-se em Antropologia com Recursos Audiovisuais, Etnologia e Antropologia (1984). É Mestre em Ciências da Comunicação (1991) e Doutor em Artes, ambas pela Universidade de São Paulo, sendo o doutorado sanduiche com a Antropologia Visual da Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, Marselha, França (1992/1993). Luiz Eduardo Jorge é professor titular do Programa de Pós-Graduação em Gestão do Patrimônio Cultural e em História Cultural da Universidade Católica de Goiás. Já dirigiu duas dezenas de filmes, entre os quais, os curtas Bubula – O Cara Vermelha(1999), Antecipando o Absurdo (2001) e Césio 137: O Brilho da Morte (2003). Sua produção audiovisual já lhe rendeu prêmios, como Menção Honrosa no 13o Videobrasil, São PAulo, 2001 e Melhor Produção Goiana no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental – Fica, 2003.

 

Foram exibidos:

1) Passageiros de segunda classe – (Direção: Luiz Eduardo Jorge, Kim-Ir-Sem e Waldir de Pina / Doc. / 21 min / P&B / Goiás-Brasil / 2001)

 

Sinopse: PASSAGEIROS DA SEGUNDA CLASSE é um olhar cinematográfico humanizado no interior de um espaço manicomial, Hospital Psiquiátrico Prof. Adauto Botelho, onde os pacientes segregados são submetidos ao abandono, eletrochoque e miséria absoluta, sendo transformados em verdadeiros lixos humanos. O filme foi rodado em 1986 e finalizado em 2001, mas a sua primeira versão foi disponibilizada e divulgada pela movimento antimanicomial.

 

2) Antecipando o Absurdo – (Direção: Luiz Eduardo Jorge / Doc. / 6 min 45 seg / Goiás-Brasil /  2001)

 

Sinopse: No fim de setembro de 2000, o Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico de Goiânia seria inaugurado, reeditando assim o que era considerado por alguns erros cometidos no passado. Esse vídeo registra o protesto do Conselho Regional de Psicologia – 9º Região –, que levou, no dia 16 de março de 2001, o Ministério Público do Estado de Goiás, Agência Goiana do Sistema Prisional, e entidades civis a oficializarem a interdição da obra.

 

3) Vermelho Negro – (Direção: Luiz Eduardo Jorge / Produção e pesquisa: Elianda Tiballi / Doc. / 22 min / Goiás-Brasil /  2008)

 

Sinopse: Apresenta o processo devastador da utilização de carvão oriundo da vegetação do cerrado goiano para a produção das matérias-primas utilizadas na construção civil edenuncia a condição subumana das pessoas envolvidas neste trabalho.

 

Após a exibição dos filmes curta-metragens, houve um diálogo com a Professora Dra. Elianda Tiballi. Além de docente acadêmica, Elianda foi produtora de filmes dirigidos por Luiz Eduardo.

A atividade gratuita contou com a presença de psicólogos e de mais profissionais de saúde engajados na causa antimanicomial, além de estudantes de Direito e o público já conhecido do bar mais descolado da cidade.

 

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*